Disciplinas oferecidas conjuntamente:
JC010-A
JC008-A
JC007-A
JC020-A
JC102-A

Tópicos de Divulgação Científica e Cultural II


JC102-A | Tópicos de Divulgação Científica e Cultural II
Docente: Profs. Drs. Marcos Aurélio Barbai e Paul Henry (CNRS/França – Centro Nacional de Pesquisa Científica) e Eni Puccinelli Orlandi (IEL-Labeurb/Unicamp-Univás)
Horário: sexta-feira das 09h às 13h
Local: Sala de aula do Labjor


Semestres em que a disciplina foi oferecida: 2017 - 2º Semestre,

Problemas cruciais da noção de condições de produção na Análise de Discurso

As condições de produção, nas Ciências da Linguagem, são uma noção e conceito teórico para a Análise de Discurso. No âmago dessa noção está situado fundamentalmente, por Michel Pêcheux, as relações entre língua e sociedade assim como o processo de produção dos discursos, compreendendo aí os sujeitos e as circunstâncias de enunciação.

A noção de condições de produção, muitas vezes tomada como um lugar de funcionamento da enunciação face à prática política e social dos discursos, tem sido transformada, em nosso tempo, em um modelo de representação do funcionamento linguístico (os usos da língua em determinadas circunstâncias) para a formalização do sujeito, um sujeito – é preciso dizer – das Ciências da Linguagem.

Esse funcionamento sintomático, científico e político é oriundo, a nosso ver, do fato de que as noções de sujeito e de linguagem, que estão na base das Ciências, não acompanharam a atualidade da contribuição da Linguística e da Psicanálise. As condições de produção tornaram-se um ritual linguístico. Assim, como encarar em nossos tempos o problema crucial da enunciação: dizer “eu”?

As condições de produção, é preciso dizer, são o real de uma condição particular: falar, dizer, enunciar, escrever. O sujeito da enunciação não é uma variável e as condições de produção uma função. As condições de produção estruturam o sujeito da enunciação e participam igualmente dos processos de ritualização da vida social. Ritualização que estabiliza o sujeito. E isso no real do discurso científico.

Como nos fabricamos e como somos fabricados na linguagem? Com o que fabricamos? Com qual material? Esses são alguns pontos que o curso propõe problematizar.  Para isso alguns eixos serão desenvolvidos:

  1. a) Condições de produção: uma resposta de Michel Pêcheux aos “Aparelhos Ideológicos de Estado” de Louis Althusser.
  2. b) O sujeito é um ser de linguagem: a ideologia
  3. c) A exclusão, a supressão do sujeito pela Ciência
  4. d) Benveniste e a articulação imaginária da língua e do discurso
  5. e) A constituição, a formulação e a circulação do discurso: dizer e memória
  6. f) O discurso: locus significativo
  7. g) A ritualização e a designação do sujeito na vida social
  8. h) O inconsciente nas condições de produção

Referências Bibliográficas

As referências bibliográficas serão apresentadas no curso.

Observação importante: Alunos especiais serão aceitos no curso. Enviar e-mail ao professor apresentando, brevemente, um CV e motivação para seguir a disciplina. Marcos Barbai: mbarbai@terra.com.br

O Labjor é um centro de referência para a formação e para os estudos em divulgação científica e cultural. Oferece, de forma multidisciplinar, cursos de pós-graduação, e proporciona pesquisas e produtos culturais que contribuem para a análise da dinâmica das relações entre ciência e sociedade.
Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Rua Seis de Agosto, 50 - 3º piso - CEP: 13083-873
Fones: (19) 3521-2584 / 3521-2585 / 3521-2586 / 3521-2588 Fax: (19) 3521-2599
LABORATÓRIO DE JORNALISMO AVAÇANDO - UNICAMP