Disciplinas oferecidas conjuntamente:
JC005/A
JC007/A
JC016/A
JC018/A

Tecnologia, Ciência e Cultura


JC016/A | Tecnologia, Ciência e Cultura
Docente: Profs. Drs. Marta Mourão Kanashiro e Diego Jair Vicentin
Horário: Quarta-feira – 14:00 – 18:00 - Inicia em 13/03/2019
Local: Sala de aula do Labjor


Semestres em que a disciplina foi oferecida: 2019 - 1º Semestre,

EMENTA:

Esta disciplina aborda as relações entre tecnologia, ciência e cultura, focalizando especialmente os debates das ciências humanas e sociais sobre as tecnologias de informação e comunicação na contemporaneidade. Será constituída por debates sobre as definições de cultura e de ciência, suas transformações, tensões e relevância na atualidade. A relação entre tecnologia e sociedade também é foco desta disciplina a partir da exploração da cultura do digital e das (tecno)ciências na atualidade.

Na primeira metade do curso, vamos explorar as condições de formação da “cultura digital” a partir do desenvolvimento tecnocientífico e do que se convencionou chamar de “virada cibernética”. O conceito de informação desempenha papel-chave e receberá atenção especial. A segunda metade do curso abordará implicações políticas das TICs especialmente a partir de dispositivos de controle e vigilância que modulam afetos e ações políticas, bem como instituem novas formas de produção de valor e acumulação de capital.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos celebra, em seu artigo 19, a liberdade de expressão como aquela que preserva o direito “de procurar, receber e difundir […] informações e ideias por qualquer meio de expressão”. Trata-se de um princípio essencial para a autodeterminação dos povos e dos indivíduos. Na atualidade, as tecnologias de informação e comunicação (TICs) exercem papel fundamental para possibilitar o pleno exercício dos direitos. Ao investigar sobre as implicações políticas das TICs esta disciplina pretende justamente iluminar situações em que estas contribuem para o aprofundamento da desigualdade e das relações de opressão que impedem a efetivação de alguns direitos fundamentais.

PROGRAMA DE CURSO E BIBLIOGRAFIA

13 de março – Aula 1 – Introdução e planejamento do curso

Debate da proposta do curso, incluindo as atividades de leitura e participação dos estudantes bem como das formas de avaliação.

Filmografia:

All watched over by machines of loving grace (parte 2)

Kevin Adam Curtis (Inglaterra, 2011) (exibido pelo canal BBC)

Duração: 60 minutos

20 de março – Aula 2 – A política como funcionamento

Bibliografia básica:

ANDERS, Gunther. (2010) O Homem está antiquado. Revista Temáticas (IFCH-Unicamp) nº35-36 pp15-34, 2010

27 de março – Aula 3 – A máquina e o Deus dos Artefatos

Bibliografia básica:

BRECHT, Bertolt. 2007. O rádio como aparato de comunicação. Discurso sobre a função do rádio. Estudos Avançados. vol.21 no.60 São Paulo. URL:

Filmografia:

Nicht löschbares Feuer [O fogo que não se apaga]

Harum Farocki (Alemanha, 1969)

Duração: 25 minutos

03 de abril – Aula 4 – Filosofia, informação e tecnologia

Bibliografia básica:

SIMONDON, Gilbert. “Introdução”. El modo de existencia de los objetos técnicos. tradução de Margarita Martínez e Pablo Rodríguez. Buenos Aires: Prometeo Editorial. 2008.

10 de abril – Aula 5 – A virada Cibernética

Bibliografia básica:

SANTOS, Laymert Garcia dos. “A informação após a virada cibernética”. Revolução tecnológica, internet e socialismo. São Paulo, SP: Editora Fundação Perseu Abramo, p. 9-33, 2003.


17 de abril – Aula 6 – Informação e Comunicação

Bibliografia básica:

capitulo a ser indicado de RODRÍGUEZ, Pablo Historia de la información. Del nacimiento de la estadística y la matemática moderno a los medios masivos y las comunidades virtuales. Buenos Aires: Capital intelectual, 2012.

24 de abril – Aula 7 – Uma história da Internet e do Vale do Silício

Bibliografia básica:

BARBROOK, Richard; CAMERON, Andy. “The Californian Ideology”. Science as Culture, Volume 6, Issue 1, 1996.

08 de maio – Aula 8 – Sociedades de controle

Bibliografia básica:

DELEUZE, Gilles. “Post-Scriptum das sociedades de controle”. Conversações. São Paulo: Editora 34, 1994. (envio de arquivo pdf por e-mail)

Filmografia:

Imagens da prisão (Gefängnisbilder) –

Harun Farocki (Alemanha, 2000)

Duração: 1 hora e 20 minutos

15 de maio – Aula 9 – Governamentalidade algorítmica

Bibliografia básica:

ROUVROY, Antoinette; BERNS, Thomas. “Governamentalidade algorítmica e perspectivas de emancipação: o díspar como condição de individuação pela relação?” Revista Eco-Pos, vol 18, n. 2, 2015.

22 de maio – Aula 10 – Capitalismo de vigilância

Bibliografia básica:

  1. ZUBOFF, Shoshana. Big other: surveillance capitalism Journal of Information Technology (2015) 30, 75–89. doi:10.1057/jit.2015.5

29 de maio – Aula 11Capitalismo de Vigilância

Bibliografia básica:

capitulo a ser indicado de ZUBOFF, Shoshana. The Age of Surveillance Capitalism: The Fight for a Human Future at the New Frontier of Power, PublicAffairs 2019.

05 de junho – Aula 12 – Capitalismo de Vigilância

Bibliografia básica:

capitulo a ser indicado de ZUBOFF, Shoshana. The Age of Surveillance Capitalism: The Fight for a Human Future at the New Frontier of Power, PublicAffairs 2019.

12 de junho – Aula 13 Trabalho e valor na economia digital

Bibliografia básica:

TERRANOVA, Tiziana. “Free Labor: Producing Culture for the Digital Economy”. Social Text 63, volume 18, número 2. Duke Press, 2000. Disponível em

19 de junho – Aula 15 – Balanço e encerramento.

POITRAS, Laura. The art of dissent. New York Times. Opinion. June 9, 2015.

Filmografia:

“The art of dissent” (2010) Laura Poitras, 10min. Laura Poitras documents the dissidents Ai Weiwei and Jacob Appelbaum as they collaborate on an art project.

26 de junho – ENTREGA DO TRABALHO FINAL PARA AVALIAÇÃO

e avaliação de curso

As notas e frequências serão disponibilizadas junto a DAC até dia 17 de julho de 2019

Bibliografia complementar:

aula 2

GUATTARI, Felix; ROLNIK, Suely. 1996. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Ed. Vozes; p. 103-120.

SWARTZ, Aaron. (2003). Open Spectrum: A Global Pervasive Network. 2003. Disponível: www.logicerror.com/openSpectrum

WINNER, Langdon. 1986. Do artifacts have politics? In: The whale and the reactor: a search for limits in an age of high technology. Chicago, University of Chicago Press, pp. 19-39.

aula 3

GELL, Alfred. 1988. Technology and Magic. Anthropology Today 4(2):6-9; 1988.

MARTINS, Hermínio. 1998. O deus dos artefatos: sua vida, sua morte. In. Araújo, Hermetes R (org). Tecnociência e Cultura, ensaios sobre o tempo presente. São Paulo: Estação Liberdade

MAUSS, Marcel. As técnicas do corpo. In. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Ubu Editora, 2017, p. 421-443.

LATOUR, Bruno. 1994. “Jamais Fomos Modernos.” Rio de Janeiro: Editora 34.

aula 4

COMBES, Muriel. Simondon Individu et Collectivité: pour une philosophie du transindividuel. Paris: PUF, 1999.

SIMONDON, Gilbert. L’individuation à la lumière des notions de forme et d’information. Grenoble: Millon, 2005.

SIMONDON, Gilbert. Communication et Information. Chatou: La Transparence, 2010.

SIMONDON, Gilbert. Cibernética y filosofía (p. 37 – 68). IN: Sobre la filosofía: N1950-1980. Buenos Aires: Cactus, 2018.

SIMONDON, Gilbert. Epistemología de la cibernética (p. 169 – 189). IN: Sobre la filosofía: N1950-1980. Buenos Aires: Cactus, 2018

aula 5

BATESON, Gregory. 1979. Mind and Nature. New York, EP Dutton.

HARAWAY, Donna. 2009. “Manifesto ciborgue: ciência tecnologia e feminismo-socialista no final do séc.XX.” (p33-118) In: Antropologias do Ciborgue: as vertigens do pós humano. TomazTadeu (org). Belo Horizonte: Ed. Autentica.

Aula 6

BRUNO, Fernanda. “Rastrear, monitorar, arquivar”, “Conhecer e classificar”, “Individualização algoritmica”, e “Predição, performatividade e proatividade” (p. 149-180) in Máquinas de ver, modos de ser: vigilância, tecnologia e subjetividade. Porto Alegre: Editora Sulina, 2013.

SIMONDON, Gilbert. Communication et Information. Chatou: La Transparence, 2010.

aula 7

BARBROOK, Richard; CAMERON, Andy. “The internet Revolution, from dot-com Capitalism to Cybernetic Communism”.

LEMOS, A. O imaginário da cibercultura. São Paulo em Perspectiva, 12 (4), 1998.

TURNER, Fred. Where the Counterculture Met the New Economy. The WELL and the Origins of Virtual Community. Technology and Culture. July, 2005.

aula 8

GREENWALD, Glenn. 2014. “Sem lugar para se esconder”. Rio de Janeiro: Sextante.

SANTOS, Laymert Garcia dos. “Considerações sobre a realidade virtual”. Politizar as Novas Tecnologias. São Paulo: Ed. 34, 2003.

RODRIGUEZ, Pablo E. Espetáculo do Dividual: tecnologias do eu e vigilância distribuída nas redes sociais. In. Tecnopolíticas da Vigilância. BRUNO, F.; CARDOSO, B; KANASHIRO, M; GUILHON, L.; MELGAÇO, L; (orgs). São Paulo, Boitempo, 2018, pp. 181-198.

aula 9

FOUCAULT, Michel. A Governamentalidade. In. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979, p. 277-293

FOUCAULT, Michel. Segurança, território e população. São Paulo: Martins Fon-

tes, 2008a.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da Biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. 3. ed. Rio de Janeiro: Nau, 2003.

HACKING, Ian. How should we do the history of statistic? In: BURCHEL, G.;

SIMONDON, Gilbert. L’individuation à la lumière des notions de forme et d’information. Grenoble: Millon, 2005.

TRAVERSINI, Clarice S.; BELLO, Samuel E. L. O numerável, o mensurável e o auditável: estatística como tecnologia para governar. Educação e Realidade 30(2): 135-152 mai/ago, 2009 Dossiê sobre governamentalidade e educação

aula 10

EUBANKS, Virginia. Automating Inequality: How High-Tech Tools Profile, Police, and Punish the Poor. St Martin’s Press, 2018.

PERON, Alcides E. R. Vaticínios punitivos: os algoritmos preditivos e os imaginários de ordem e cidadania. Revista ComCiência. (Dez/2018 – Fev/2019). Disponível:

TERRANOVA, Tiziana. 2004. Network culture: politics for the information age. London: Pluto Press.

TUFEKCI, Zeynep. 2013a. Networked politics from Tahrir to Taksim: is there a social media-fueled protest style? DML Central.

TUFEKCI, Zeynep. 2013b. “Not this one”: social movements, the attention economy,

and microcelebrity networked activism. American Behavioral Scientist 57(7):848-70.

TUFEKCI, Zeynep. 2014. Engineering the public: big data, surveillance and

computational politics. First Monday 19(7).

TUFEKCI, Zeynep. 2015. Algorithmic harms beyond Facebook and Google: emergent

challenges of computational agency. Colorado Technology Law Journal 13:203-17.

TUFEKCI, Zeynep. 2017. Twitter and tear gas: the power and fragility of networked

protest. New Haven: Yale University Press.

Aula 11

DONEDA, Danilo; ALMEIDA, Virgílio A. F. O que é a Governança de Algoritmos? In. Tecnopolíticas da Vigilância. BRUNO, F.; CARDOSO, B; KANASHIRO, M; GUILHON, L.; MELGAÇO, L; (orgs). São Paulo, Boitempo, 2018, pp. 141-148.

INTRONA, L. “Algorithms, governance, and governmentality: on governing academic writing”. Science, Technology & Human Values, 3 June 2015.

aula 12

KANASHIRO, M. M.; BRUNO, F.; EVANGELISTA, R. A.; FIRMINO, R. J. 2013. “Maquinaria da privacidade”. Revista Rua (UNICAMP), v. 1, p. 22.

PASQUALE, Frank. The black box society. Cambridge, MA: Harvard University Press, 2015.

aula 13

EVANGELISTA, Rafael. Resenha. The Age of Surveillance Capitalism: The Fight for a Human Future at the New Frontier of Power, PublicAffairs 2019. [no prelo]

ZUBOFF, Shoshana. Big Other: capitalismo de vigilância e perspectivas para uma civilizaçãod a informação In. Tecnopolíticas da Vigilância. BRUNO, F.; CARDOSO, B; KANASHIRO, M; GUILHON, L.; MELGAÇO, L; (orgs). São Paulo, Boitempo, 2018, pp. 17-68.

aula 14

LAZZARATO, Maurice. “Immaterial labor”. Radical thought in Italy. P. Virno and M. Hardt (eds.) Minneapolis: University of Minnesota Press, 1996. (envio de arquivo pdf por e-mail)

O Labjor é um centro de referência para a formação e para os estudos em divulgação científica e cultural. Oferece, de forma multidisciplinar, cursos de pós-graduação, e proporciona pesquisas e produtos culturais que contribuem para a análise da dinâmica das relações entre ciência e sociedade.
Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Rua Seis de Agosto, 50 - 3º piso - CEP: 13083-873
Fones: (19) 3521-2584 / 3521-2585 / 3521-2586 / 3521-2588
Ver endereço para envio de correspondências
LABORATÓRIO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM JORNALISMO - UNICAMP