Disciplinas oferecidas conjuntamente:
JC 108/A – Tópicos em Metodologia de Pesquisa
JC 020/A –   Texto e Linguagem
JC 015/A – Sócio-antropologia da ciência e da tecnologia

Sócio-antropologia da ciência e da tecnologia


JC 015/A | Sócio-antropologia da ciência e da tecnologia
Docente: Prof. Dr. Rafael de Almeida Evangelista
E-mail para contato:
Horário: Terça-feira – 14h às 18h
Local: Sala virtual


Semestres em que a disciplina foi oferecida: 2021 - 2º Semestre,

Esta disciplina busca aprofundar o pensamento sobre tecnologia, ciência e
conhecimento a partir de referenciais teóricos das Ciências Sociais. Mais
especificamente, o curso abordará algumas categorias básicas e discussões clássicas
das Ciências Sociais, buscando compreender como os estudos contemporâneos das
ciências e das tecnologias tanto incorporam quanto problematizam esses conceitos. O
curso tratará de algumas relações entre essas diferentes abordagens e em disciplinas
como Sociologia e Antropologia, pensando como cada uma dialoga e contribui para as
temáticas que se configuram na contemporaneidade de maneira interdisciplinar.
A estratégia para isso serão discussões sobre as relações entre algoritmos, inteligência
artificial e poder. Os últimos anos assistiram a uma ascensão rápida das grandes
plataformas, que operam pela internet, ao papel de intermediadoras de diversas
relações sociais: comerciais, interpessoais, políticas e outras. Essa intermediação não
é neutra. Os algoritmos, fazendo uso de tecnologias de inteligência artificial, modulam
essas relações, incentivando ou obstaculizando interações informacionais num
processo em que exercem poder. A partir definição de poder estrutural e organizacional
do antropólogo Eric Wolf, em diálogo com outras, vamos discutir a partir de quais bases
o poder se desenvolve no ambiente das grandes plataformas e fora delas. Serão
importantes para nós também os conceitos de capitalismo de vigilância e poder
instrumentário, como desenvolvidos por Shoshana Zuboff, no livro The Age of
Surveillance Capitalism.
Entende-se que o domínio desses temas sociais contemporâneos contribui
decisivamente para a formação do divulgador científico e cultural, permitindo uma
bagagem analítica relevante para o exercício da atividade.
A bibliografia abaixo será complementada no início do curso.

BRUNO, Fernanda; CARDOSO, Bruno; KANASHIRO, Marta; et al. Tecnopolíticas da
vigilância: Perspectivas da margem. 1a edição. São Paulo, SP: Boitempo, 2018.
Wolf, E. R. (1999). Envisioning Power: Ideologies of Dominance and Crisis. University
of California Press.
ZUBOFF, Shoshana. The Age of Surveillance Capitalism: The Fight for a Human Future
at the New Frontier of Power. Edição: 1. [s.l.]: PublicAffairs, 2019.

GANDY JR, Oscar H.; NEMORIN, Selena. Toward a political economy of nudge: smart
city variations. Information, Communication & Society, v. 0, n. 0, p. 1–15, 2018.
CAMPOLO, Alexander; CRAWFORD, Kate. Enchanted Determinism: Power without
Responsibility in Artificial Intelligence. Engaging Science, Technology, and Society, v. 6,
p. 1–19, 2020.
EVANGELISTA, Rafael. Para além das máquinas de adorável graça: Cultura hacker,
cibernética e democracia. [s.l.]: Edições Sesc, 2018.
DIJCK, J. VAN. Datafication, dataism and dataveillance: Big Data between scientific
paradigm and ideology. Surveillance & Society, v. 12, n. 2, p. 197–208, 9 maio 2014.
KITCHIN, R. Big Data, new epistemologies and paradigm shifts. Big Data & Society, v.
1, n. 1, p. 2053951714528481, 1 jan. 2014.
Quijano, A. (2014) “Colonialidade do Poder e Classificação Social” em SANTOS, B. DE
S.; PAULA, M. M. Epistemologias do Sul. [s.l.] Cortez Editora, 2014.
KWET, M. Digital colonialism: US empire and the new imperialism in the Global South.
Race & Class, v. 60, n. 4, p. 3–26, 1 abr. 2019
FOUCAULT, Michel; Nascimento da Biopolítica. 1a edição. [s.l.]: Edições 70, 2010.
YEUNG, Karen. ‘Hypernudge’: Big Data as a mode of regulation by design. Information,
Communication & Society, v. 20, n. 1, p. 118–136, 2017.
PALMÅS, K. Predicting what you’ll do tomorrow: Panspectric surveillance and the
contemporary corporation. Surveillance & Society, v. 8, n. 3, p. 338–354, 9 set. 2010.
THATCHER, J.; O’SULLIVAN, D.; MAHMOUDI, D. Data colonialism through
accumulation by dispossession: New metaphors for daily data: Environment and
Planning D: Society and Space, 3 mar. 2016.
DAL YONG JIN. Digital Platforms, Imperialism and Political Culture. [s.l.]: Routledge,
2015. Disponível em:
<https://www.taylorfrancis.com/https://www.taylorfrancis.com/books/mono/10.4324/978
1315717128/digital-platforms-imperialism-political-culture-dal-yong-jin>. Acesso em: 25
maio 2021.

O Labjor é um centro de referência para a formação e para os estudos em divulgação científica e cultural. Oferece, de forma multidisciplinar, cursos de pós-graduação, e proporciona pesquisas e produtos culturais que contribuem para a análise da dinâmica das relações entre ciência e sociedade.
Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Rua Seis de Agosto, 50 - 3º piso - CEP: 13083-873
Fones: (19) 3521-2584 / 3521-2585 / 3521-2586 / 3521-2588
Ver endereço para envio de correspondências
LABORATÓRIO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM JORNALISMO - UNICAMP