Disciplinas oferecidas conjuntamente:
JC 102
JC 007
JC 005
JC 001
JC 012

Turma A - Linguagem: Jornalismo, Ciência e Tecnologia


JC 005 | Turma A - Linguagem: Jornalismo, Ciência e Tecnologia
Docente: Profa. Graça Caldas
Horário: Quarta-feira das 9h às 13h
Local: Labjor


Semestres em que a disciplina foi oferecida: 2014 - 1º Semestre,

O objetivo do curso é compreender como um texto jornalístico-científico produz sentidos. Correlatamente, pela análise discursiva, visamos compreender como esses textos são lidos (interpretados) a partir do modo como estão constituídos. A compreensão da produção e do modo de interpretação desses textos supõe que saibamos analisá-los em sua materialidade e em seus mecanismos de funcionamento que resultam do fato de que, para significar, a língua tem de se inscrever na história. Assim, nosso objeto de estudo é o discurso, pois é no discurso que se pode observar a relação entre a linguagem e a exterioridade, a historicidade.  

Plano de trabalho: Bloco I: Mídia e Sociedade e Bloco II: Mídia, Linguagem e Recepção

Os cidadãos civilizados não são produtos do acaso,
mas de um processo educativo (Karl Popper).

Bloco I: Mídia e Sociedade: Teorias da notícia. Mídia e de/formação da opinião pública. Informação, conhecimento e opinião. Informação: bem público ou privado? Papel social e potencial dialógico da mídia. Indústria da consciência. Consenso fabricado e Consenso negociado. Desvio de atenção. Destruição da temporalidade. Representação e recorte da realidade. Simulacro do real. Imaginário coletivo. Formação de mentalidades. Mudança de cultura: livro x TV. Sociedade do vídeoclipe. Janelas para o mundo? Global x local. Mundialização dos hábitos e valores. Questão de identidade. Imagem e sentido. O visível e o invisível. Verdadeiro e falso. Polissemia de vozes. Cultura midiática e tecnológica. Teias multimídias. Informação como business. Saber compartilhado. Armadilhas da informação mundializada. Deslocamento do tempo e do espaço. Mídia pautando o mundo. Educação formal e informal: educação plural. Linguagem e sedução dos meios no processo de educação. De cidadãos a consumidores. Direito à informação. Formação para a cidadania. Comunicação Pública.

Bloco II: Mídia, Linguagem e Recepção: A linguagem como elemento de persuasão. O exercício do poder por meio da língua e da imagem. Os múltiplos sentidos da imagem, da palavra e do silêncio. O dito e o não dito. Informação, versão e realidade. Informação e conhecimento. Informação e poder. Saber e poder. Opinião e análise. O contexto social da informação. A construção dos sentidos. Argumentação e Linguagem. A adequação da linguagem. Análise crítica do discurso jornalístico em seus diferentes gêneros e suportes. Os formadores de opinião. A influência dos textos jornalísticos na formação da opinião pública: editoriais, artigos, colunas, notas, reportagens, cartas do leitor, fotos, charges etc. As diferentes modalidades do discurso. O discurso competente. Discurso Jornalístico e Discurso Científico. Ciência Cidadã e Jornalismo Cidadão. O poder da ciência e dos meios de comunicação na formação do imaginário popular, da memória coletiva. A responsabilidade social dos cientistas e dos jornalistas. Mídia, História e Memória.

Objetivos: Desenvolver nos alunos a capacidade de leitura crítica do mundo, a partir da análise crítica do discurso jornalístico e do discurso científico. O pressuposto é de que não existe objetividade na informação. A percepção da linguagem como instrumento de manipulação e poder. Entender, também, os limites e as potencialidade da linguagem no processo da construção cotidiana do conhecimento e leitura de cenários. A idéia é discutir o papel educativo da ciência e da mídia, bem como a responsabilidade social do cientista e do jornalista como agentes ativos no processo formação da opinião pública para a construção de uma cultura científica e cidadã.

Dinâmica das aulas: Exposição de conteúdos e reflexões a partir de textos de autores da Teoria do Jornalismo e do Discurso. Em seguida haverá debate sobre os textos encaminhados previamente para leitura dos alunos (em formato on line ou para xerox).

Avaliação: A avaliação do curso será baseada na participação nas aulas, a partir de leitura crítica dos textos obrigatórios a serem discutidos em aulas, seminários e a elaboração final de um paper a partir do projeto de pesquisa sobre ciência na mídia, a ser proposto no primeiro dia de aula.

Tópicos de discussão:

  • Apresentação do curso – trabalho final
  • Mídia e Sociedade: cenários e perspectivas
  • A construção da opinião pública e o imaginário social
  • Mídia e Memória: o jornalista como historiador do cotidiano
  • Ficção e História: Imprensa e Construção da Realidade
  • Teorias da Notícia: como a notícia é elaborada
  • Comunicação Pública e Cidadania: informação e conhecimento
  • Mídia e Poder: relações, manipulações, ideologias
  • Mídia e Opinião Pública: técnica e ideologia na construção da informação
  • Mídia e Linguagem: versão, realidade e recepção
  • Linguagem, ideologia, mídia e poder
  • As teorias do discurso: argumentação, persuasão e linguagem
  • O discurso jornalístico e os verbos introdutórios de opinião
  • Informação e versão: a realidade possível
  • Linguagem, historia e imprensa
  • Mídia e Ciência, Política, Cultura
  • Discurso Jornalístico x Discurso Científico
  • Leitura Crítica da Mídia
  • Ciência Cidadã e Jornalismo Cidadão
  • Seminários/Conclusões (apresentações de análises preliminares dos trabalhos realizados para a avaliação do curso)

BIBLIOGRAFIA

ALMINO, João. O segredo e a informação. Ética e política no espaço público. Editora Brasiliense, SP, 1986.

BACCEGA, Maria Aparecida. Do mundo editado à construção do mundo. Comunicação & Educação, São Paulo, Moderna, n.1. p-7-8, set/dez, 1994.

BAKHRTIN, Mikhail (Volochínov). Marxismo e filosofia da linguagem. Ed. Hucitec, SP, 1981.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. Edições 70, Lisboa, 1974.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Contribuições de Bakthin às teorias do discurso. In Bakhtin, Dialogismo e construção do sentido. Org. Beth Brait. Ed. Unicamp. 1997. Pp:27-35.

BELTRÃO , Luiz. Jornalismo Opinativo. Porto Alegre, Sulina, 1980.

BOURDIEU, Pierre. A Opinião Pública não existe. In Crítica metodológica, investigação social e enquete operária. Michel Thiollent (org.). Editora Polis, SP, 1981.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da Ciência. Por uma sociologia clínica do campo científico. Editora da Unesp, 2003,

BRANDÃO, Helena H. Megamine. Introdução à Análise do Discurso. Editora da Unicamp, Campinas, SP, 1991.

BRETON, Philippe. A argumentação na Comunicação. Edusc, Bauru, SP, 1999.

CALDAS, Graça. Leitura Crítica da Mídia: educação para a cidadania. In Comunicarte, v. 19, nº 25, 2002, pp: 133-144,

CALDAS, Graça. Mídia e Memória: a construção coletiva da história e o papel do jornalista como historiador do cotidiano. In BEZZON, Lara, Crivelaro (org.). Comunicação, Política e Sociedade. Editora Alínea, Campinas, 2004.

CAIAFA, Janice. Mídia e poderes: algumas notas e breve esboço de estratégias. In Comunicação & Política.n.s.Vol 1, nº 1, pp.73-88.

CASTORIADIS, Cornelius. A Instituição Imaginária da Sociedade. Editora Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1986.

CHARAUDEUAU, Patrick. Discurso Político. Contexto, SP, 2006.

CHARAUDEUAU, Patrick. Linguagem e Discurso: modos de organização. Contexto, SP. 2008.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. Editora Forense. Rio de Janeiro, 1982.

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia? Editora Brasiliense, SP, 4ª edição, 1980.

CORRACINI, Maria José. Um fazer persuasivo: o discurso subjetivo da Ciência. Campinas, Pontes, 1991.

DA VIÁ, Sarah Chucid. Opinião Pública. Técnicas de formação e problemas de controle. Edições Loyola, SP, 1983.

DIJIK, Teun a. van. Cognição, discurso e interação. Contexto, SP, 1996.

ECO, Umberto. Semiótica & Filosofia da Linguagem. Ed. Ática, São Paulo, 1991.

FAUSTO NETO, Antonio. A deflagração do sentido. Estratégias de produção e de captura de recepção. In Sujeito, o lado oculto do receptor. Mauro Wilton de Sousa (org.). Tradução e transcrição de Sílvia Cristina Dotta e Kiel Pimenta. Editora Brasiliense, SP, 1995.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Editora UnB, Brasília, 2001.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Editora Vozes, Petrópolis, Rio de Janeiro, 1972.

FOUCAULT , Michel. Microfísica do Poder. Editora Graal, Rio de Janeiro, 1988.

GARCIA, Othon. Comunicação em prosa moderna – aprenda a escrever, aprendendo a pensar. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1996, 17ª edição.

GADINI, Sérgio, Luz. Interesses cruzados: a produção da cultura no jornalismo. Paulus, SP, 2009.

GASKELL, Martin W. Bauer e George (Ed.). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som. Um manual prático. Ed. Vozes, Petrópolis, 2002.

GHILARDI, Maria Inês e BARZOTTO, Valdir Heitor (orgs). Mídia, Educação e Leitura. Ed. Anhembi Morumbi, SP. 1999.

GOMES, Mayra Rodrigues. Poder no Jornalismo. Ed. Hacker e Edusp, 2003.

GNERRE, Maurizzio. Linguagem, escrita e poder. Martins Fontes Editora, SP, 1987.

GRAMSCI, Antonio. Os Intelectuais e a Organização da Cultura. Editora Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1978.

GUARESCHI, Pedrinho e outros. Os construtores da informação. Editora Vozes, RJ, 2000.

JAKOBSON, Roman. Lingüística e Comunicação. Editora Cultrix, SP, 1972.

KOCH, Ingedore G. Villaça. Argumentação e Linguagem. Editora Cortez. SP, 1996.

KNELLER, Douglas. A Cultura da Mídia. Edusc, Bauru, SP, 2001.

LAGE, Nilson. Estrutura da Notícia. São Paulo, Ática, 1985.

LEBRUN, Gérard. O que é o Poder. Editora Brasiliense, SP, 1982.

LE GOFF, Jacques, et alii. A Nova História. Edições 79, SP, 1980.

LIMA, Regina. Reeleição: o ritual de negociação entre produção e recepção no discurso jornalístico. Comunicação & Sociedade. São Bernardo do Campo, n. 27, 1997.

MAGALHÃES, Izabel (org.). As múltiplas faces da linguagem. Ed. UnB, Brasília, 1996.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise dos textos de Comunicação. Ed. Cortez, SP, 2000.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. A ação dos verbos introdutórios de opinião. In INTERCOM-Revista Brasileira de Comunicação. Ano XVI, nº 64, Janeiro/Junho de 1991, pp.74-92.

MARQUES DE MELO, José. Direito à Informação. Editora Papirus, Campinas, SP, 1986.

MORA, Ana Maria Sánchez. A Divulgação da Ciência como Literatura. Editora UFRJ, RJ, 2003.

MOTTER, Maria Lourdes. Ficção e história. Imprensa e Construção da Realidade. Ed. Arte & Ciência-Vilipress, SP, 2001.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. A Linguagem e seu Funcionamento. As Formas do Discurso. Editora Brasiliense, SP, 1983.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. As formas do silêncio. No movimento dos sentidos. Editora da Unicamp, Campinas, SP, 1993.

ORLANDI, Eni Pulcinelli (org.) O discurso fundador. A formação do país e a construção da identidade nacional. Editora Pontes, Campinas, SP, 1993.

OSAKABE, Haquira. Argumentação e Discurso Político. Editora Kairós, SP, 1979.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni Orlandi. Editora da Unicamp, Campinas, SP, 1988.

PINTO, Milton. Comunicação e Discurso. Hacker Editores, SP, 1999.

POSSENTI, Sírio. O sujeito fora do arquivo. In “As múltiplas faces da linguagem”. Ed. UnB, 1996, pp:37-47.

POSSENTI, Sírio. Discurso, estilo e subjetividade. Ed. Martins Fontes, SP, 1998.

RAJAGOPALAN, Kanavilil. Por uma lingüistica crítica. Ed. Parábola, SP, 2003.

RAMOS, Roberto (org.) Mídia, textos & contextos. EdipucRS, Porto Alegre, 2001.

ROQUEPLO, Philippe. Le partage du savoir – Science, culture, vulgarisation. Paris: Seuil, 1974.

SANTAELLA, Lúcia. Produção de Linguagem e Ideologia. Editora Cortez. SP, 1996.

SOUSA, Mauro Wilton de (Org.). Sujeito, o lado oculto do receptor. Editora Brasiliense, SP, 1995.

VASCONCELOS, Sílvia Inês C.C. de. Os discursos jornalísticos: manchete, reportagem, classificados & artigo. Ed. da Univali, Maringá, 1999.

VERÕN, Eliseo. Ideologia, Estrutura e Comunicação. Ed. Cultrix, São Paulo, s/d.

VOGT, Carlos. Linguagem, pragmática e ideologia. Editora Hucitec, Funcamp, SP, 1980.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? Ed. Loyola, SP, 2002.

ZIMAN, John. A Força do Conhecimento. Editora Itatiaia, Belo Horizonte/Edusp, SP, 1981.

O Labjor é um centro de referência para a formação e para os estudos em divulgação científica e cultural. Oferece, de forma multidisciplinar, cursos de pós-graduação, e proporciona pesquisas e produtos culturais que contribuem para a análise da dinâmica das relações entre ciência e sociedade.
Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Rua Seis de Agosto, 50 - 3º piso - CEP: 13083-873
Fones: (19) 3521-2584 / 3521-2585 / 3521-2586 / 3521-2588
Ver endereço para envio de correspondências
LABORATÓRIO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM JORNALISMO - UNICAMP