Disciplinas oferecidas conjuntamente:
JC001/A
JC015/A
JC013/A
JC012/A
JC020/A
JC014/A

Sócio-antropologia da ciência e da tecnologia


JC015/A | Sócio-antropologia da ciência e da tecnologia
Docente: Profa. Dra. Daniela Manica
E-mail para contato:

Horário: Quinta-feira - 09:00 às 13:00 – início em 01/08
Local: sala de aula do Labjor


Semestres em que a disciplina foi oferecida: 2019 - 2º Semestre,

Esta disciplina busca aprofundar o pensamento sobre tecnologia, ciência e conhecimento a partir
de referenciais teóricos das Ciências Sociais. Mais especificamente, o curso abordará algumas
categorias básicas e discussões clássicas das Ciências Sociais, buscando compreender como os
estudos contemporâneos das ciências e das tecnologias tanto incorporam quanto problematizam
esses conceitos. O curso tratará de algumas relações entre essas diferentes abordagens e em
disciplinas como Sociologia e Antropologia, pensando como cada uma dialoga e contribui para as
temáticas que se configuram na contemporaneidade de maneira interdisciplinar.
Programa da disciplina
Partindo de uma retomada da problemática do animismo pelas humanidades, essa
disciplina visa debater esforços contemporâneos, nas áreas da antropologia, da
sociologia, da filosofia e do ativismo, para uma “reanimação” da Ciência e da Tecnologia.
A disciplina será dividida em dois blocos. No primeiro bloco serão debatidas leituras
ligadas ao conceito clássico de “animismo” e às suas reconfigurações contemporâneas,
incluindo perspectivas das ciências sociais e do feminismo. No segundo, serão
debatidos trabalhos que, apesar de não tratarem diretamente de animismo, liberam
desdobramentos dessa discussão, ligados ao campo dos estudos sociais de Ciência e
Tecnologia. As implicações cosmopolíticas da relação sujeito-objeto na produção de
conhecimento e de tecnologia serão trabalhadas a partir de leituras engajadas de
práticas científicas e tecnológicas na contemporaneidade. Entre os dois blocos, como
interlúdio, os professores da disciplina apresentarão estudos de caso ligados à química
e à biologia.
Esta disciplina atende à recomendação de inclusão das temáticas de direitos
humanos nas disciplinas ofertadas pela Unicamp, encaminhada pela PRPG e pelo
Comitê Gestor do “Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade,
Cultura da Paz e Direitos Humanos da Unicamp”. A sensibilização por questões ligadas
a desigualdades e assimetrias sociais, aqui proposta, para além de oferecer subsídios
para a percepção dessas desigualdades no âmbito das (tecno)ciências, procura prover

alternativas possíveis de produção de conhecimento acadêmico, e de divulgação
científica, comprometidos com o respeito à diversidade e a defesa irrestrita dos direitos
humanos, animais e ambientais.

Avaliação
Serão avaliadas a participação nas aulas, a leitura dos textos e participação em sala de
aula e o trabalho final. O trabalho final pode ter diversos formatos, e deve compor
reflexões motivadas pelas discussões do curso, preferencialmente em articulação com
os temas da pesquisa sendo desenvolvida pela/o estudante. A presença em pelo menos
75% das aulas é condição para aprovação.

Cronograma

[1] 01/08 – Apresentação do curso

[2] 08/08 – Animismo I
BIRD-DAVID, Nurit. 1999. “Animism” revisited: personhood, environment, and relational
epistemology. Current Anthropology 40:S67-91.
__________. 2006. Animistic epistemology: why do some hunter-gatherers not depict
animals? Ethnos 71(1):33-50.
RIVAL, Laura. 2012. Animism and the meanings of life: reflections from Amazonia. In:
Marc Brightman; Vanessa Elisa Grotti; Olga Ulturgasheva (eds.). Animism in
rainforest and tundra: personhood, animals, plants and things in contemporary
Amazonia and Siberia. New York: Berghahn Books, pp.69-81.
__________. 2013. The materiality of life: revisiting the anthropology of nature in
Amazonia. In: Graham Harvey (ed.). The handbook of contemporary animism.
London: Routledge, pp.92-100.

15/08 – Não haverá aula (Esocite.br)

[3] 22/08 – Animismo II
HOGAN, Linda. 2013. We call it tradition. In: Graham Harvey (ed.). The handbook of
contemporary animism. London: Routledge, pp.17-26.
STARHAWK. 2018. Magia, visão e ação. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros
69:52-65.
STENGERS, Isabelle. 2012. Reclaiming animism. e-flux 36.

[4] 29/08 – Animismo III
FEDERICI, Silvia. 2019. Re-enchanting the world: feminism and the politics of the
commons. Oakland: PM Press.

05/09 – Não haverá aula (4S)

[5] 12/09 – Animismo IV
MELITOPOULOS, Angela; LAZZARATO, Maurizio. 2011. O animismo maquínico.
Cadernos de Subjetividade 8 (13):7-27.

[6] 19/09 – Animismo V
POVINELLI, Elisabeth. 2017. The three figures of geontology. In: GRUSIN, Richard (ed.).
Anthropocene Feminism. Minneapolis and London: University of Minnesota Press.
pp. 49-65.
CETTL, Fani. 2018. From the Closet of the Mind to Mindedness: Rethinking Animism at
the Crossover of Science Studies, Postcolonial Ethnography and Environmental
Humanities. Brief Encounters 2(1):43-52.

[7] 26/09 – Células
MYERS, Natasha. 2014. Rendering machinic life. In: COOPMAN, Catelijne et.al. (eds).
Representation in scientific practice revisited. Cambridge and London: MIT Press.
pp. 153-175.
BENNETT, Jane. 2010. Preface + Stem Cells and the Culture of Life. In: _______.
Vibrant matter: a political ecology of things. Durham: Duke University Press. pp. vii-
xix + 82-93

[8] 03/10 – Elementos químicos
BENSAUDE-VINCENT, Bernadette. 1985. Mendeleiev: história de uma descoberta. In:
Michel Serres (dir.). Elementos para uma história das ciências. III Volume.
Terramar, pp.77-102.
REYNOLDS, Ffion. 2009. Regenerating substances: quartz as an animistic agent. Time
and Mind 2(2):153-66.

[9] 10/10 – Antropoceno e mundo mais-que-humano

TSING, Anna L.; SWANSON, Heather; GAN, Elaine; BUBANT, Nils (eds.). 2017. Arts of
living on a damaged planet: ghosts of the anthropocene. Minneapolis: University of
Minnesotta Press.

[10] 17/10 – Intra-ações entre matéria e significado
BARAD, Karen. 2007. Meeting the universe halfway: quantum physics and the
entanglement of matter and meaning. Durham: Duke University Press.

[11] 24/10 – Intra-ações entre matéria e significado
BARAD, Karen. 2007. Meeting the universe halfway: quantum physics and the
entanglement of matter and meaning. Durham: Duke University Press.

[12] 31/10 – SF: string figures, science facts, speculative feminism
HARAWAY, Donna. 2013. A game of cat's cradle: science studies, feminist theory,
cultural studies. In: Arthur Kroker; Marilouise Kroker (eds.). Critical digital studies: a
reader. Toronto: University of Toronto Press, pp. 59-69.
_______. 2016. Staying with the trouble: making kin in the Chthulucene. Durham: Duke
University Press.

[13] 07/11 – Contra-feitiçarias e capitalismo
PIGNARRE, Philippe; STENGERS, Isabelle. 2007. La sorcellerie capitaliste: pratiques de
désenvoûtement. Paris: La Découverte.

[14] 14/11 – Contra-feitiçarias e capitalismo
PIGNARRE, Philippe; STENGERS, Isabelle. 2007. La sorcellerie capitaliste: pratiques de
désenvoûtement. Paris: La Découverte.

[15] 21/11 – Fechamento

O Labjor é um centro de referência para a formação e para os estudos em divulgação científica e cultural. Oferece, de forma multidisciplinar, cursos de pós-graduação, e proporciona pesquisas e produtos culturais que contribuem para a análise da dinâmica das relações entre ciência e sociedade.
Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Rua Seis de Agosto, 50 - 3º piso - CEP: 13083-873
Fones: (19) 3521-2584 / 3521-2585 / 3521-2586 / 3521-2588
Ver endereço para envio de correspondências
LABORATÓRIO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM JORNALISMO - UNICAMP