Dossiês Entrevistas Resenhas Notícias Memória Fototeca Agenda Quem somos Fale conosco
Frevo de hoje destaca-se pela improvisação
Museu preserva acervos de grandes nomes da literatura nacional
Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça? Mito do improviso é questionado
22 anos depois, Gilberto Velho reflete sobre tombamento de terreiro
Revista do Patrimônio sobre Museus é lançada no Rio de Janeiro
Frevo nasceu como fenômeno de resistência popular
Página inicial > Notícias
Grupo oferece consultoria gratuita a prefeituras em projetos de restauro
Patrícia Mariuzzo
Oferecer orientação técnica precisa e rápida voltada a prefeituras em assuntos relativos à restauração de bens culturais. Essa é apenas uma das idéias do grupo Inovação e Pesquisa para o Restauro (IPR), e que já está em funcionamento no site: www.escience.unicamp.br/restauro . O serviço de consultoria on-line gratuita é voltado a gestores de prefeituras que querem saber mais sobre intervenções emergenciais visando bens culturais sob risco iminente. “Trata-se de um serviço de utilidade pública fundamental para os gestores e conselheiros municipais de defesa do patrimônio cultural frente a uma situação que exige rapidez e orientação técnica precisa”, explica o Marcos Tognon, coordenador científico do IPR e professor de história na Unicamp.

Há menos de dois meses na rede, o site deve trazer em breve uma série de documentos denominada “Cadernos Técnicos”, com o resultado de pesquisas do grupo IPR e que formarão a primeira biblioteca técnica digital e gratuita da área de restauro e conservação dos bens culturais no Brasil. No escopo de trabalho do IPR, constam ainda a elaboração e execução de projetos de restauro; desenvolvimento de tecnologias de informação para a gestão de acervos; monumentos e centros ou sítios históricos; e instrumentos de diagnóstico para exames não destrutivos do patrimônio histórico-artístico.

Criado em 2004, desde o início o grupo já pretendia atuar junto a prefeituras na gestão e no restauro dos bens culturais, pautando-se por uma crescente preocupação com o patrimônio cultural nos planos de governo que surgiu depois da criação do Estatuto das Cidades. em 2001. “Observando essas propostas, implantadas ou não, é possível ainda notar uma ausência de ferramentas, instrumentos e metas objetivas para atuar decisivamente na proteção, difusão e irradiação desses valores do patrimônio”, coloca Tognon. Segundo o historiador, o usufruto correto dos valores que circundam os monumentos, acervos e coleções sob tutela pública, pode gerar benefícios significativos na econômia, com o turismo, e sociais, com a educação.

Dentre os projetos em desenvolvimento pelo IPR estão: o restauro do monumento-túmulo do compositor Carlos Gomes, em Campinas; trabalhos emergenciais na Igreja Matriz do Senhor do Bom Jesus do Livramento, na cidade histórica Bananal, no Vale do Paraíba, São Paulo; e o restauro da fachada da Basílica Histórica de Aparecida do Norte no Santuário Nacional de Aparecida, também no estado de São Paulo.

Imprimir esta matéria Enviar por e-mail