Dossiês Entrevistas Resenhas Notícias Memória Fototeca Agenda Quem somos Fale conosco
Frevo de hoje destaca-se pela improvisação
Museu preserva acervos de grandes nomes da literatura nacional
Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça? Mito do improviso é questionado
22 anos depois, Gilberto Velho reflete sobre tombamento de terreiro
Revista do Patrimônio sobre Museus é lançada no Rio de Janeiro
Frevo nasceu como fenômeno de resistência popular
Página inicial > Notícias
Diagnóstico do Patrimônio Naval brasileiro ganha publicação
Daniel Chiozzini
Palestra de abertura do I Seminário do Patrimônio Naval Brasileiro
18/01/2006

O Museu Nacional do Mar realizou, entre 15 e 17 de Março de 2005, o I Seminário do Patrimônio Naval Brasileiro. Patrocinado pelo programa Monumenta, do Ministério da Cultura, o evento reuniu especialistas de todo o Brasil e de diversas instituições, como universidades, secretarias de estado, prefeitura municipal de São Francisco do Sul, Iphan e Marinha, além do corpo técnico do programa Monumenta, ONGs, modelistas, navegadores e arquitetos que trabalham na área. A publicação dos Anais do Seminário, prevista para ser lançada em março deste ano, traz artigos escritos pelos palestrantes, as deliberações e conclusões do evento, além de um dos mais completos diagnósticos sobre o patrimônio naval brasileiro. A publicação também traz uma ampla ilustração com gravuras, fotos e desenhos relacionados ao assunto.

Segundo Vanessa Maria Pereira, coordenadora da publicação e chefe do escritório do Iphan em São Francisco do Sul (SC), a relevância do evento também se justifica pela situação precária que o patrimônio naval se encontra nos últimos anos. A arquiteta aponta uma perda significativa da cultura relacionada às embarcações tradicionais, devido a diversos fatores, como a substituição de barcos pelo transporte rodoviário, como no caso dos saveiros baianos; as dificuldades para obtenção de matéria-prima adequada (madeira), devido à legislação ambiental; e as perdas financeiras enfrentadas pelos pescadores artesanais frente a grades indústrias pesqueiras. Segundo Pereira: “tais fatores ocasionam o abandono da atividade da navegação e da pesca e o conseqüente desaparecimento das tradições relacionadas a estas culturas, como construção naval artesanal, até então perpetuada de geração para geração”, afirma.

Deste modo, o evento teve o intuito de coordenar ações para frear este processo: “As palestras e discussões tiveram o intuito de noticiar o andamento de trabalhos na área de inventários, pesquisa, documentação, modelismo e artesanato naval, com o objetivo maior de expor um diagnóstico do patrimônio naval e dos barcos tradicionais brasileiros, além de propor ações específicas e diretrizes para um plano nacional de preservação do patrimônio naval”, esclarece Dalmo Vieira Filho, superintendente do Iphan em Santa Catarina.

O seminário também culminou com a criação de um grupo de discussão na internet, com intuito de criar uma rede de comunicação entre entidades e projetos envolvidas com a preservação do patrimônio naval. Os interessados em participar da lista ou em obter mais informações sobre a publicação podem entrar em contato com o Museu Nacional do Mar pelo e-mail contato@museunacionaldomar.com.br

Imprimir esta matéria Enviar por e-mail