Popularização da ciência

Rondônia é destaque na Semana de Ciência e Tecnologia

quarta-feira 5 de outubro de 2005.
 
Rondônia é a grande surpresa da 2.a. edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, em andamento desde o último dia 3 de outubro. O estado, com 28 cidades participantes e 316 atividades programadas, superou o Amazonas (dois municípios participantes e 221 atividades) e tudo o que foi realizado na região Norte no ano passado: 124 atividades, com a participação de 17 municípios.

Rondônia é a grande surpresa da 2.a. edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, em andamento desde o último dia 3 de outubro. O estado, com 28 cidades participantes e 316 atividades programadas, superou o Amazonas (dois municípios participantes e 221 atividades) e tudo o que foi realizado na região Norte no ano passado: 124 atividades, com a participação de 17 municípios.

Porto Velho, por exemplo, conta com uma programação diversificada: a realização da V Semana de Matemática, sessões de vídeo sobre a importância das águas e matas ciliares, feira de ciências com o tema gestão ambiental, exposição sobre a extração de DNA do morango e palestra sobre os mecanismos da chuva ácida.

O tema da Semana Nacional de C&T nesse ano é “Brasil Olhe para a Água”. Cerca de 323 cidades e 816 instituições estão envolvidas através das 6228 atividades que foram cadastradas. “Nossa meta para a Semana de 2005 era de 4000 atividades”, conta Gloria Malavoglia, coordenadora-executiva do Ministério da Ciência e Tecnologia em São Paulo. Todos os dados desse ano são superiores aos do evento de 2004, que realizou 1842 atividades, em 252 municípios, com a participação de mais de 500 instituições.

Outro destaque de 2005 é a região Nordeste, com 1574 atividades programadas e participação de 105 municípios. Na Semana de 2004, o Nordeste realizou 356 atividades em 17 cidades. Apesar desse salto significativo, a maior concentração de atividades (2610), assim como no ano anterior, continua na região Sudeste em 98 municípios. O estado campeão no número de atividades é o Rio de Janeiro (1110), seguido de São Paulo (891), estado que triplicou o número de atividades programadas para esse ano comparando com os dados de 2004 (273). Apesar disso, São Paulo teve uma diminuição no número de municípios envolvidos: são 49 cidades participantes, contra 55 registradas no último ano.

“A idéia da Semana é que a ciência se torne uma cultura no Brasil. Queremos formar uma sociedade cientificamente mais letrada. Antes mesmo da 1.a. edição em 2004, o objetivo era que ela se tornasse tradição no país com sua realização todos os anos no mês de outubro. Fazemos, assim, um movimento de popularização da ciência, já que são as escolas, universidades, museus de ciência, fundações de amparo à pesquisa, dentre outras instituições, que se mobilizam para que a Semana aconteça”, explica Malavoglia.

A Semana Nacional de C&T foi instituída por decreto do presidente Lula no dia 9 de junho de 2004. A coordenação nacional das atividades fica por conta da Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social, por meio do Departamento de Popularização e Difusão de Ciência e Tecnologia do MCT.

Responder a esta matéria