Exército brasileiro instalará escritório-piloto na Unicamp

segunda-feira 27 de março de 2006.
 
O exército brasileiro instalará, em abril deste ano na Unicamp, um escritório-piloto responsável pelo levantamento de tecnologias em áreas de interesse para o exército.O escritório deve atuar na busca por projetos das áreas de comunicações, desenvolvimento de sistemas de informática, criação de simuladores virtuais e de governança da tecnologia e da informação.

O exército brasileiro instalará, em abril deste ano, um escritório-piloto junto à Unicamp para atuar na prospecção de oportunidades para o sistema de C&T. A missão desse escritório é fazer um levantamento de possíveis institutos e laboratórios que poderão vir a ser parceiros do exército. O pesquisador do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp, Geraldo Lesbat Cavagnari Filho, afirma que as parcerias entre o exército brasileiro e instituições civis ligadas à pesquisa são comuns e vantajosas para os dois lados.

O vice-chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do exército brasileiro, general de Divisão Ubiratan Athayde Marcondes, explica que o objetivo da implantação do escritório-piloto na Unicamp é criar condições para que um centro de desenvolvimento de sistemas de alta tecnologia possa se instalar, em breve, no Parque Tecnológico de Campinas.

Marcondes detalha que, inicialmente, o escritório-piloto está interessado em buscar projetos das áreas de comunicações, desenvolvimento de sistemas de informática, criação de simuladores virtuais e de governança da tecnologia e da informação.

O general destaca que a Unicamp foi a instituição escolhida para sediar o escritório por se tratar de um universidade referência no campo da pesquisa em ciência e tecnologia. No entanto, a escolha pela Unicamp, segundo ele, não descarta a possibilidade de parcerias com outras instituições da região.

Nesta primeira fase, o exército brasileiro vai investir aproximadamente R$ 250 mil reais em equipamentos, veículos, mobília e material de consumo para a instalação do escritório. A Unicamp, por sua vez, cederá salas do prédio do Centro de Inovação em Software (Inovasoft) para a instalação do escritório.

Parceria é antiga e vantajosa

O pesquisador do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp, Geraldo Lesbat Cavagnari Filho lembra que a o exército brasileiro foi uma das instituições pioneiras a incentivar pesquisas em ciência e tecnologia no país já no início do século XX. Segundo Cavagnari, até a década de 50 a cooperação entre militares e sociedade no âmbito de pesquisas científicas deu-se de forma pontual. Foi nessa época e com a criação do curso de engenharia naval na USP, que as parcerias contínuas entre os militares e a sociedade civil tiveram início.

Após analisar o histórico de incentivos à ciência e tecnologia do exército, Cavagnari avalia que entre as principais vantagens para que as parcerias entre instituições militares e civis ocorram estão o intercâmbio de conhecimentos e de pessoal qualificado. "Os dois lados ganham. O Exército não precisa realizar uma série de pesquisas que a universidade já tem prontas. Por outro lado, a universidade pode ter verbas asseguradas com as parcerias", conclui.

Responder a esta matéria