Software livre incentiva inovação tecnológica

quinta-feira 2 de março de 2006.
 
Pesquisadora do Instituto de Economia da Unicamp defende que quanto maior o número de pessoas com acesso aos códigos-fonte de softwares, maior é a chance de novas criações técnicas.

O livre acesso aos códigos-fonte de programas de computador por empresas e pessoas é uma situação que permite a solução de problemas e criação de inovações tecnológicas. Esse é um dos argumentos apresentados pela pesquisadora Cássia Isabel Costa Mendes, em sua dissertação de mestrado intitulada “Software livre e inovação tecnológica: uma análise sob a perspectiva da propriedade intelectual”. Na pesquisa, Mendes defende que o software livre apresenta potencial para estimular a inovação tecnológica. O trabalho foi apresentado no final de fevereiro no Instituto de Economia da Unicamp.

De acordo com a pesquisadora, quanto mais pessoas tiverem acesso aos códigos-fonte dos softwares, maior é a chance de sua aprimoração, adaptação para novas funções ou utilização como base para novas criações tecnológicas. É nesse percurso que podem gerar inovações. Ela cita o acúmulo do progresso técnico, cujo desenvolvimento seria acelerado com o trabalho de agentes em rede, como sendo outro ponto positivo para aumentar a agilidade da criação tecnológica. “Quanto mais pessoas estiverem cooperando, mais rápido poderá ser o processo de desenvolvimento”, diz.

No âmbito da propriedade intelectual, entre as várias regras para softwares, a pesquisadora analisou a GPL (General Public License). Ela explica que essa regra possibilita usar, estudar, modificar e redistribuir o código-fonte dos programas de computador. Mendes argumenta ainda que a vantagem dessa licença é a sua forma de contrato de adesão, ou seja, a pessoa que modificar os códigos deve deixar as alterações efetuadas para serem livremente acessadas. Essa forma livre de licenciamento é chamada de copyleft, o qual a pesquisadora prefere denominar como “um novo modo de desenvolvimento das formas do direito autoral”.

Oportunidades de negócios em venda de serviços

Mendes aponta que mais empresas podem criar produtos e entrar no mercado num contexto de livre circulação de códigos-fonte, influenciando as formas de concorrência na indústria do software.

Mas como ganhar dinheiro com programas baseados no software livre? Oferecendo serviços, afirma a pesquisadora. Ela esclarece que o modelo de negócio no software livre é diferente. Com o software proprietário a rentabilidade se dá, principalmente, com a venda de licenças de uso. Já no caso do software livre, as empresas podem oferecer serviços como a adaptação de um programa para determinadas funções específicas para a empresa, ou fornecendo treinamento de pessoal.

Mesmo acreditando nas potencialidades de crescimento do software livre a pesquisadora estima que softwares proprietários e livres poderão coexistir. Esse fato decorre de aspectos como a existência de barreiras culturais para a adoção do software livre, custos de troca de software, necessidade de treinamento de pessoal e transformação de arquivos antigos.

Para saber mais leia:

A catedral e o bazar

Política e linguagem nos debates sobre software livre

Responder a esta matéria