Últimas notícias
Morre José Marques de Melo, criador do Labjor e pioneiro da Comunicação no Brasil
Labjor suspende atividades em razão do desabastecimento
Divulgação científica com chopp e descontração*
Alberto Dines, um dos fundadores do Labjor, morre aos 86 anos
Ao Dines, com carinho*
Pint of Science começa hoje, aproximando a ciência do público de forma leve e descontraída
Resultado do Processo Seletivo de Pós-Doutorado em Divulgação Científica e Cultural
5º Encontro de Divulgação de Ciência e Cultura abre inscrições para ouvintes, comunicações orais e relatos de experiências
Podcast Oxigênio reestreia em novo formato
Cocen lança programa interdisciplinar com palestra do professor Carlos Vogt

Arquivo de notícias

Alberto Dines, um dos fundadores do Labjor, morre aos 86 anos


Notícia publicada em: 22 de maio de 2018

Um dos maiores expoentes da área do jornalismo, Alberto Dines foi um dos fundadores do Labjor, e também do Observatório da Imprensa e do Projor – Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo. Ele faleceu nessa manhã (22), em São Paulo.

O jornalista iniciou sua carreira como crítico de cinema da revista A cena muda, em 1952. Teve passagem por diversas publicações, como as revistas Visão, Manchete, Fatos e Fotos, os jornais Última Hora, Tribuna da Imprensa, e Diário da Noite, de Assis Chateaubriand. Foi editor-chefe do Jornal do Brasil, diretor da sucursal do Rio de Janeiro da Folha de S. Paulo e parte da equipe de O Pasquim.

Sempre focado na importância da crítica de mídia no Brasil, é autor da obra O papel do jornal e de outros títulos voltados ao tema, entre eles Cadernos de jornalismo e A imprensa em debate. Como escritor também se dedicou à realização de biografias como Morte no paraíso – a tragédia de Stefan Zweig; O judeu em cena: o prodígio de Amarante e O baú de Abravanel: uma crônica de sete séculos até Sílvio Santos.

Na Unicamp, juntamente com Carlos Vogt e José Marques de Melo, idealizou o Labjor. O objetivo era criar um centro de pesquisa e acompanhamento crítico da mídia. O Labjor foi apresentado publicamente em abril de 1994, por meio do seminário-fundador A imprensa em questão, quando se fez amplo diagnóstico dos desafios enfrentados pela mídia no panorama das transformações socioculturais, político-econômicas e científico-tecnológicas. Em 2014, Dines esteve presente no evento comemorativo de 20 anos, celebrado com o simpósio A questão da imprensa: tecnologia, transparência, autorregulação e desconcentração.

Sempre com olhar crítico e disposto a debater o papel da mídia, idealizou também o Observatório da Imprensa, lançado pioneiramente em versão eletrônica, em 1996. Depois, viriam ainda as versões de rádio e televisão.

“O papel do Dines foi fundamental no propósito de a Unicamp ter um programa de jornalismo, e de criá-lo com as características de ser um curso não de graduação, mas sim atividades de extensão e pós-graduação. E, neste processo todo, foi feita a criação do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor). Dois anos depois, em 1996, houve o lançamento do Observatório da Imprensa e todas as atividades que fizemos juntos, e cujos desdobramentos se deram na criação do Projor – que abriga o Observatório. A vinda do Dines para a Unicamp foi fundamental para a criação do Laboratório e das atividades que se desenvolveram de crítica do jornalismo e de formação de profissionais da área de divulgação científica”, destaca o professor Carlos Vogt.

Em abril, a Unicamp sediou o simpósio Projor – Vigilância midiática e desenvolvimento do jornalismo“, que discutiu a trajetória da entidade voltada à reflexão e ao aprimoramento da prática jornalística e da imprensa livre. Na ocasião, o professor Carlos Vogt destacou a atuação de Alberto Dines por meio do texto “Ao Dines, com carinho”.

“Trata-se de uma grande perda para o jornalismo. Poucos profissionais construíram uma carreira tão brilhante, em parte pelo seu espírito empreendedor e seu interesse não só em fazer jornalismo, mas também refletir sobre a profissão, além do interesse em formar profissionais mais críticos. Esse seu lado o levou a colaborar com a fundação do Labjor, a criar o Observatório da Imprensa, o Projor e vários outros produtos como Os cadernos de jornalismo, editados pelo Jornal do Brasil nas décadas de 1960 e 1970, e vários projetos desenvolvidos no Projor”, afirma Simone Pallone, coordenadora do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade (Nudecri).

A professora e pesquisadora do Labjor Vera Regina Toledo Camargo também destaca o imenso prestígio do jornalista. “Dines teve, tem e terá sempre uma importantíssima trajetória na área de comunicação. Em sua passagem pelo Labjor, despertou vários adeptos e seguidores de um bom jornalismo. Tivemos a grata oportunidade de conviver e debater”.

O velório será amanhã, dia 23, no Cemitério Israelita do Embu das Artes, a partir de 10h. O enterro será às 13h30.

O Labjor é um centro de referência para a formação e para os estudos em divulgação científica e cultural. Oferece, de forma multidisciplinar, cursos de pós-graduação, e proporciona pesquisas e produtos culturais que contribuem para a análise da dinâmica das relações entre ciência e sociedade.
Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Rua Seis de Agosto, 50 - 3º piso - CEP: 13083-873
Fones: (19) 3521-2584 / 3521-2585 / 3521-2586 / 3521-2588 Fax: (19) 3521-2599
LABORATÓRIO DE JORNALISMO AVAÇANDO - UNICAMP